prozac 40mg popliteal celexa 20mg cardiac concurrent clonidine 0.1mg test recovery buy exelon Healthy stories buyneurontinonlinehere.com buying abilify online school lipitor online no rx deoxyribonucleic

Blog do Desemprego Zero

GUIA DE FALÁCIAS LÓGICAS DO STEPHEN

Enviado pelo querido amigo Renato Gonçalves

de Stephen Downes

Leia também: Lógica & Falácias

As falácias lógicas são erros de raciocínio ou de argumentação, erros que podem ser reconhecidos e corrigidos por pensadores prudentes. Este ensaio lista e descreve todas as falácias lógicas conhecidas.

O propósito deste ensaio é assegurar que a informação sobre as falácias lógicas estará livremente disponível. Para assegurar que esta informação permaneça gratuitamente acessível, este ensaio e o seu conteúdo são protegidos por direitos autorais.

O ponto central de um argumento é expor razões que sirvam de suporte para alguma conclusão. Um argumento comete uma falácia quando as razões apresentadas, de fato, não sustentam a conclusão.

Como usar este Guia

As falácias estão agrupadas em categorias de quatro a seis falácias cada. Este agrupamento é um tanto quanto arbitrário e foi feito apenas por pura conveniência.

Cada falácia é descrita no seguinte formato:

Nome: o nome pelo qual a falácia é geralmente conhecida

Definição: a falácia é definida

Examplos: são dados exemplos da falácia

Prova: os passos necessários para provar que foi cometida uma falácia
Nota: Por favor fique ciente que este guia está em construção e, portanto, não deve ser tomado como completo de modo algum.

Lista de Falácias

Falácias de Dispersão

  • Falso Dilema: são dadas duas alternativas quando de fato há três ou mais
  • Apelo à Ignorância: conclui-se que uma proposição é falsa (ou verdadeira) porque não se sabe se é verdadeira (ou falsa)
  • Declive Escorregadio: conseqüências cada vez mais inaceitáveis são derivadas em série
  • Pergunta Complexa: duas proposições são ligadas no que aparenta ser uma só pergunta.

Apelo a Motivos em Vez de Razões

  • Apelo à Força: o ouvinte é persuadido a concordar pela força
  • Apelo à Piedade: apela-se à compaixão ou simpatia do ouvinte
  • Conseqüências: o ouvinte é prevenido contra conseqüências inaceitáveis
  • Linguagem Preconceituosa: associam-se valores morais positivos à causa defendida pelo autor
  • Apelo ao Povo: defende-se que uma proposição é verdadeira porque segundo a maioria da população ela é verdadeira

Fugir do Assunto

  • Ataques Pessoais:
  • o (1) ataque ao caráter da pessoa
  • o (2) referem-se circunstâncias relativas à pessoa
  • o (3) invoca-se o fato da pessoa não praticar o que diz
  • Apelo à Autoridade:
  • o (1) a autoridade não é um perito no campo em questão
  • o (2) não há acordo entre os peritos do campo em questão
  • o (3) a autoridade não pode, por algum motivo ser levada a sério – porque estava brincando, estava bêbada, etc.
  • Autoridade Anônima: a autoridade em questão não é declarada
  • Estilo Sem Substância: sente-se que o modo como o argumento (ou o argumentador) é apresentado afeta a verdade da conclusão

Falácias Indutivas

  • Generalização Precipitada: a amostra é demasiado pequena para apoiar uma generalização indutiva sobre o domínio em questão
  • Amostra Não Representativa: a amostra não é representativa do domínio em questão
  • Falsa Analogia: desprezam-se diferenças relevantes entre os objetos ou acontecimentos comparados
  • Indução Preguiçosa: nega-se, apesar dos indícios favoráveis, a conclusão de um forte argumento indutivo
  • Falácia de Omissão: não é considerada toda a informação relevante que devia pesar na conclusão de um forte argumento indutivo

Falácias Envolvendo Silogismos Estatísticos

  • Acidente: uma generalização é feita quando as circunstâncias sugerem que deve haver exceções
  • Inversa do Acidente : generaliza-se o que apenas devia ser tomado como exceção

Falácias Causais

  • Post Hoc: pelo fato de algo acontecer após outra coisa pensa-se que a coisa causa a algo em questão
  • Efeito Conjunto: conclui-se que uma coisa é causa de outra coisa quando, de fato, ambas as coisas são o efeito conjunto de uma causa subjacente
  • Insignificância: conclui-se que uam coisa é causa de algo, mas apesar de também o ser, é insignificante quando comparada com outras causas deste algo
  • Direção Errada ou Contramão: a relação entre causa e efeito é invertida
  • Causa Complexa: a causa identificada é apenas uma parte da totalidade da causa do efeito

Errando o Alvo

  • Petição de Princípio: a verdade da conclusão já estava presumida nas premissas
  • Conclusão Irrelevante: um argumento apresentado para defender uma conclusão prova, em vez disso, outra conclusão
  • Espantalho: o autor ataca um argumento diferente (e/ou mais fraco) do que o melhor argumento do opositor

Falácias da Ambiguidade

  • Equívoco: o mesmo termo é usado em dois sentidos diferentes
  • Anfibologia: a estrutura de uma frase permite duas interpretações diferentes
  • Ênfase: a ênfase numa palavra sugere um sentido diferente daquele que de fato é enunciado

Erros de Categorização

  • Composição: como os atributos das partes de um todo têm certa propriedade, argumenta-se que o todo tem esta propriedade
  • Divisão: como o todo tem uma certa propriedade, argumenta-se que as partes têm essa propriedade

Non Sequitur

Erros Silogísticos

Falácias da Explicação

Falácias de Definição

Proposição

Valor da Verdade

Tabela da Verdade

Operadores Lógicos

Referências

Direitos Autorais

MUITO MAIS SOBRE FALÁCIAS E OPERADORES LÓGICOS clique aqui

(em Word) guia-de-falacias-logicas-do-stephen.doc

Versão para Impressão Enviar essa Página