prozac 40mg popliteal celexa 20mg cardiac concurrent clonidine 0.1mg test recovery buy exelon Healthy stories buyneurontinonlinehere.com buying abilify online school lipitor online no rx deoxyribonucleic

Blog do Desemprego Zero

Arquivado em 'Fernando Ferrari':

Pode “Ela” Acontecer de Novo?

Postado em 3 dEurope/London novembro dEurope/London 2008

Fernando Ferrari Filho e Luiz Fernando de Paula*

Em um dos seus livros mais conhecidos, Can ‘It’ Happen Again? (publicado originalmente em 1982), a palavra ´Ela’ (´It’) a que se refere Hyman Minsky é a Grande Depressão. Como se sabe este famoso economista pós-keynesiano formulou sua hipótese de fragilidade financeira mostrando que economias capitalistas em expansão são inerentemente instáveis e propensas a crises, uma vez que a maioria dos agentes apresenta postura especulativa, resultando em práticas de empréstimos de alto risco. O aumento da fragilidade financeira é produzido por um lento e não percebido processo de erosão das margens de segurança de firmas e bancos, em um contexto no qual o crescimento de lucros e rendas “validam” o aumento do endividamento.

Para Minsky, respondendo a pergunta que ele mesmo formulou, a depressão pôde ser evitada ou atenuada por conta da atuação do banco central como emprestador de última instância (“Big Central Bank”) e da adoção de políticas fiscais contra-cíclicas (“Big Government”). Neste sentido em suas próprias palavras: “A evolução das relações financeiras conduz a intermitentes ‘crises’ que colocam claros e presentes perigos para uma séria depressão. Até o momento, intervenções do Federal Reserve e outras instituições financeiras junto com déficits do Tesouro têm sido combinados para conter e administrar essas crises”.

A inspiração de Minsky obviamente veio de John Maynard Keynes que na Teoria Geral havia dito: “é uma característica notável do sistema econômico em que vivemos a de que está sujeito a severas flutuações do seu produto e emprego, mas não é violentamente instável (…) Uma situação intermediária, nem desesperadora nem satisfatória, é o nosso resultado normal”. Assim, Keynes sugere que o problema principal dos economistas não deveria ser explicar a flutuação, mas sim entender como um sistema tão simples não entra em colapso sob peso de suas próprias contradições. O que impede que o sistema seja “violentamente instável” é a existência de convenções e instituições (entre os quais o governo). Leia o resto do artigo »

Postado em Desenvolvimento, Destaques da Semana, Fernando Ferrari, Política Econômica | 2 Comentários »

Redução dos juros e manutenção do crescimento econômico

Postado em 16 dEurope/London janeiro dEurope/London 2008

Fernando Ferrari Filho
Professor titular da UFRGS e pesquisador do CNPq
.
.
Em 2007, a boa performance dos nossos principais indicadores macroeconômicos, tais como superávit comercial ao redor de US$ 40,0 bilhões, reservas cambiais acumuladas próximas a US$ 185,0 bilhões, taxa de desemprego (média entre janeiro e novembro) de 9,5%, estimativas de um crescimento do PIB em torno de 5,2% e taxa de inflação, IPCA, de 4,46%, fez com que as Autoridades Monetárias (AM) e os analistas econômicos passassem a vislumbrar um ciclo de crescimento econômico sustentado para o Brasil.

Leia o resto do artigo »

Postado em Fernando Ferrari, Política Econômica, Todos (nossos autores) | 2 Comentários »