prozac 40mg popliteal celexa 20mg cardiac concurrent clonidine 0.1mg test recovery buy exelon Healthy stories buyneurontinonlinehere.com buying abilify online school lipitor online no rx deoxyribonucleic

Blog do Desemprego Zero

Arquivado em 'Política Social':

“SUS” da Educação muda papel do MEC

Postado em 30 dEurope/London março dEurope/London 2010

/* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:”Tabela normal”; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-parent:”"; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin:0cm; mso-para-margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:10.0pt; font-family:”Times New Roman”; mso-ansi-language:#0400; mso-fareast-language:#0400; mso-bidi-language:#0400;} >

A criação de um sistema nacional articulado de educação baseado no regime de colaboração entre União, Estados e municípios do Sistema Único de Saúde (SUS) vai depender de aprovação de lei complementar e mudanças na Lei de Diretrizes e Bases (LDB) para se tornar realidade no país. O esboço dos primeiros artigos da futura legislação foi apresentado ontem durante o segundo dia de atividades da 1ª Conferência Nacional de Educação (Conae) e está sendo discutido pelos cerca de 3 mil delegados presentes ao encontro, que acontece em Brasília até quinta-feira. Clique aqui para ler mais.<-->

Postado em Desenvolvimento, O que deu na Imprensa, Política Brasileira, Política Social | 1 Comentário »

Mau Sinal

Postado em 25 dEurope/London março dEurope/London 2010

Texto de Paulo Passarinho

Nunca antes neste país tantos se manifestaram em defesa dos interesses da população e do Brasil.
A responsabilidade por tal mudança na postura de inúmeros políticos foi a aprovação, pela Câmara de Deputados, da chamada emenda Ibsen Pinheiro.
A distribuição dos royalties do petróleo, de uma forma distinta da praticada até aqui, nas áreas já licitadas, e a mudança na forma acordada entre vários atores políticos para a distribuição dos royalties da área do pré-sal abriu a temporada dos neonacionalistas de tribuna, com suas pregações. Leia o resto do artigo »

Postado em Desenvolvimento, Desenvolvimento Regional, Paulo Passarinho, Política Econômica, política industrial, Política Social | Sem Comentários »

Conae: conferências e conseqüências

Postado em 24 dEurope/London março dEurope/London 2010

“Cada um de nós tem papel de protagonista na realização dos sonhos dos pioneiros da educação”Isaac Roitman é membro Titular da Academia Brasileira de Ciências e coordenador do Grupo de Trabalho de Educação da SBPC

Ainda no primeiro semestre de 2010, serão realizadas em Brasília duas importantes conferências nacionais, a Conferência Nacional de Educação (Conae, em março) e a Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (CNCTI, em maio), esta com grande interface com a área de educação. As conferências nacionais são precedidas de conferências estaduais e municipais com ampla participação de diferentes segmentos da sociedade. Clique aqui para ler mais.

Postado em Desenvolvimento, O que deu na Imprensa, Política Brasileira, Política Social | Sem Comentários »

Investimento em educação chega a 4,7% do PIB

Postado em 17 dEurope/London março dEurope/London 2010

Recomendação da Unesco é que o país aplique 8% do produto interno bruto

Em 2008, o investimento público em educação foi de 4,7% em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), um crescimento de 0,2% em comparação com o ano anterior. Em valores, foi algo em torno de R$ 140 bilhões. É o que aponta estudo divulgado nesta terça-feira (16) pelo Ministério da Educação. A série histórica indica que entre 2000 e 2008 o percentual passou de 3,9% para 4,7%, com alguns períodos de estabilidade e até de queda. Clique aqui para ler mais.

Postado em Desenvolvimento, Política Brasileira, Política Social | Sem Comentários »

A Copa e o desafio do esporte brasileiro

Postado em 4 dEurope/London março dEurope/London 2010

Por Luís Nassif

Um dos grandes desafios, para os próximos anos, será compatibilizar a profusão de grandes eventos esportivos internacionais com a precariedade das estruturas esportivas do país.

Haverá recursos do governo para obras em estádios, além de um conjunto amplo de ações destinadas a preparar a casa. Estão sendo montadas estruturas de apoio e fiscalização dos recursos. Acontece que, na ponta, a ação será de clubes esportivos, federações e confederações que ainda pertencem ao lado cinzento da economia.

Não apenas isso.

Hoje em dia, em nível mundial, passa pelos esportes – especialmente o futebol – uma das pernas principais do crime organizado. Clique aqui para ler mais.

Postado em Política Brasileira, Política Social | Sem Comentários »

A batalha das comunicações na América Latina

Postado em 18 dEurope/London fevereiro dEurope/London 2010

Nos últimos anos, governos eleitos em países da América Latina com as bandeiras da justiça social e de transformações econômicas, políticas e culturais incluíram a democratização dos sistemas de comunicação em suas agendas de prioridades. Pela primeira vez, políticas e ações públicas tentam reverter o quadro de aguda concentração da mídia nas mãos de um número reduzido de corporações. Clique aqui para ler o artigo de Dênis de Moraes.

Postado em Destaques da Semana, Internacional, O que deu na Imprensa, Política Social | Sem Comentários »

País deverá manter políticas que deram certo, entrevista com Mozart Neves Ramos

Postado em 12 dEurope/London janeiro dEurope/London 2010

Para dirigente do Todos pela Educação, Brasil superou descontinuidade no setor

Em maio deste ano, educadores e autoridades se reunirão em Brasília para definir o Plano Nacional de Educação, documento que vai renovar as diretrizes da política pública de educação para os próximos dez anos.

O químico Mozart Neves Ramos, presidente-executivo do Todos pela Educação, movimento educacional patrocinado, entre outras empresas, por Banco Real, Itaú Unibanco, Gerdau, Suzano e Odebrecht, elegeu a Conferência Nacional de Educação (Conae) como um dos acontecimentos mais relevantes do ano para o setor, porque o resultado do evento deverá “enterrar de vez o mal da descontinuidade” na área, justamente em um período eleitoral.

“É importante considerar os avanços, a sociedade não comporta mais descontinuidade”, afirma Mozart, que, entre 1996 e 2003, foi reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e secretário de Educação do Estado nordestino. Além de defender a manutenção dos avanços, como os modelos de financiamento e de avaliação, Mozart espera que o plano dê prioridade a grandes metas, como a universalização do ensino médio e a melhor formação no fundamental. Ele diz ainda que o investimento brasileiro em educação é baixo e que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva perdeu a chance de liderar uma transformação do setor. “Uma lacuna do governo Lula foi ele não ter, como o grande líder que é, conclamado a sociedade para a causa da educação”, lamenta. A seguir, a entrevista com o dirigente do Todos pela Educação:

- Como o sr. avalia o que tem sido feito na área educacional? Leia o resto do artigo »

Postado em Desenvolvimento, O que deu na Imprensa, Política Brasileira, Política Social | Sem Comentários »

Ensinando impunidade

Postado em 1 dEurope/London janeiro dEurope/London 2010

Por Luís Fernando de Lima Júnior

De acordo o último Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), em todo o Brasil, considerando as redes públicas estaduais, São Paulo ocupa a terceira colocação. No entanto, com um resultado de 4 como média para os ensinos fundamental e médio, não temos o que comemorar.

Desde a implantação da estrutura curricular de ciclos de quatro anos em regime de progressão continuada na rede de ensino básico do Estado de São Paulo, a realidade do cotidiano escolar aponta na direção de um aumento nos casos de indisciplina e violência dentro da escola. Talvez um dos efeitos mais nefastos desses 12 anos de uma política educacional equivocada seja a desconstrução de um dos principais valores da escola: o estudo. A necessidade de estudar para garantir a aprovação por boas notas foi substituída pela falta de perspectiva. Os alunos podem fazer o que quiserem na escola que sua aprovação está garantida.

Sem apologia ao passado, percebe-se que a pressão exercida sobre os estudantes, quanto à obrigação de se apresentar resultados, fazia os alunos demonstrarem melhor rendimento escolar, propiciando-lhes maior preparo para a competição do mercado de trabalho. Reconhecendo que essa pressão era, muitas vezes, exagerada, não se pode negar que tal necessidade desenvolvia nos alunos uma qualidade e um senso de responsabilidade que já não existem.

Com a radicalização de uma interpretação da progressão continuada, que em sua proposta original não excluía a retenção dos alunos com graves defasagens de aprendizagem, criou-se um vício que desestrutura a capacidade de aprender sozinho pelo estudo – justamente a principal habilidade requerida pela sociedade contemporânea. Clique aqui para ler mais.

Postado em O que deu na Imprensa, Política Brasileira, Política Social | 1 Comentário »